segunda-feira, 21 de novembro de 2016

FESTA DA APRESENTAÇÃO DE MARIA NO TEMPLO (21 de novembro).




Joaquim e Ana, por muito tempo não tinham filhos, até que nasceu Maria, em cuja infância se dedicou totalmente e livremente a Deus, impelida pelo Espírito Santo desde sua concepção imaculada.

A memória que a Igreja celebra hoje não encontra fundamentos explícitos nos Evangelhos Canônicos, mas, algumas pistas no chamado proto-evangelho de Tiago, livro de Tiago, ou ainda, História do nascimento de Maria. A validade do acontecimento que lembramos possui real alicerce na Tradição que a liga à Dedicação da Igreja de Santa Maria Nova, construída em 543, perto do templo de Jerusalém.

Os manuscritos não canônicos, contam que Joaquim e Ana, por muito tempo não tinham filhos, até que nasceu Maria, em cuja infância se dedicou totalmente, e, livremente, a Deus, impelida pelo Espírito Santo, desde sua concepção imaculada. Tanto no Oriente, quanto no Ocidente observamos esta celebração mariana nascendo do meio do povo e com muita sabedoria sendo acolhida pela Liturgia Católica, por isso esta festa aparece no Missal Romano a partir de 1505, onde busca exaltar a Jesus através daquela que muito bem soube isto fazer com a vida, como partilha Santo Agostinho em um dos seus Sermões:

“Acaso não fez a vontade do Pai a Virgem Maria, que creu pela fé, pela fé concebeu, foi escolhida dentre os homens para que dela nos nascesse a salvação; criada por Cristo antes que Cristo nela fosse criado? Fez Maria totalmente a vontade do Pai e por isto mais valeu para ela ser discípula de Cristo do que Mãe de Cristo; maior felicidade gozou em ser discípula do que mãe de Cristo. E assim Maria era feliz porque já antes de dar à luz o Mestre, trazia-o na mente”.

As grandes místicas: a Beata Ana Catarina Emmerich, a Venerável Sóror Maria de Ágreda e a Serva de Deus Maria Valtorta, em suas revelações, fazem menção à consagração de Maria no templo de Jerusalém, como virgem consagrada ao Senhor. Maria – assim narram as videntes praticamente unânimes – foi consagrada ao Senhor no templo tendo apenas 03 anos de idade. Lá ficou até seus 14 a 15 anos, tendo como mestra Ana, a profetisa. Entre as demais virgens consagradas, Maria vivia uma vida de intensa oração e trabalho, ocupando-se sempre no trato com o Senhor. Dali só saiu quando foi indicada para contrair núpcias com São José.

Beata Maria do Divino Coração
A Beata Maria do Divino Coração dedicava devoção especial à festa da Apresentação de Nossa Senhora, de modo que quis que os atos mais importantes da sua vida se realizassem neste dia.

Foi no dia 21 de novembro de 1964 que o Papa Paulo VI, na clausura da 3ª Sessão do Concílio Vaticano II, consagrou o mundo ao Coração de Maria e declarou Nossa Senhora Mãe da Igreja.


Nossa Senhora da Apresentação, rogai por nós!                        

Um comentário:

  1. ....FOI GUARDADA POR DEUS,PARA SER A MÃE DO MEU SENHOR! SALVE MARIA!!!

    ResponderExcluir